crise NA RELAÇões AFETIVAS





24.3.19



As relações afetivas, têm sempre altos e baixos, e produzem sentimentos e emoções intensos, mas também podem dar origem a grandes insatisfações.


Existem momentos em que as pessoas se sentem mais próximas e outros em que estão mais distantes. Existem alturas em que as coisas vão estar bem e outras em que vão existir dificuldades na relação.


É necessário que haja um investimento constante, e permanente, nas relações de forma a que quanto mais se colocar nelas, mais as mesmas nos deem de volta.





Mas quando as grandes ilusões, os momentos de auge, êxtases maravilhosos, sucedem vivências em que o sofrimento e a impotência se tornem presentes e constantes? ​
Em que seja frequente, um ou os dois membros do casal chegar a sentir inquietação, insegurança, decepção ou desilusão, em alguns momentos da relação?





Um dos primeiros passos para encontrar soluções para as dificuldades na relação é reconhecer que há problemas. É desta forma que as pessoas conseguem alimentar afetivamente uma relação que está a passar por momentos difíceis. Outro aspeto importante é empenhar esforços na tentativa de fazer com que a relação funcione, e que seja uma fonte de paz e tranquilidade, e não de sofrimento e angústia. O primeiro passo nesse sentido é uma adequação das expectativas. Não se pode pretender um casamento que seja “tudo bom” com uma perpétua sensação de bem-estar, pois como tudo o resto na vida real, também as relações têm os seus altos e baixos, momentos bons e momentos maus. Uma relação forte e saudável pode ser um dos melhores suportes da nossa vida, aumentando a nossa saúde, a nossa mente, e as nossas ligações aos outros. Contudo, se a relação não está a funcionar bem, pode também ser uma das maiores fontes de problemas e desgaste emocional. Para que as relações funcionem em pleno é preciso que haja investimento, empenho e trabalho de ambas as partes, comunicação efetiva, respeito pela individualidade e cumplicidade. A psicologia pode mostrar-nos tanto as causas que nos conduzem ao fracasso nas nossas relações, como as chaves que nos ajudem a superar as nossas diferenças. É importante ter presente que o amor, a sexualidade, a empatia e a diversão podem regressar, e muitas vezes regressam, quando os casais tentam ativamente substituir padrões antigos por comportamentos novos.