Classificação de transtornos de ansiedade





T.A.G. (Transtorno de Ansiedade Generalizada): a ansiedade é crónica ou de longa duração. A preocupação é inespecífica e diária e, além disso, difícil de controlar. Em muitos casos, refere-se a eventos ou atividades que têm a ver com trabalho ou desempenho acadêmico. Não provoca crises incapacitantes e os sintomas são interpretados como traços de personalidade, o que faz com que se tornem crónicos.



Transtorno do Pânico (com ou sem agorafobia): a ansiedade aparece sob a forma de breves ataques de medo intenso, com uma grande quantidade de sintomas de ansiedade. O sujeito percebe uma série de manifestações fisiológicas que não fazem nada além de confirmar as suas piores previsões sobre possíveis infortúnios. Nestas condições, tudo é feito para que se reduza a crise. O aparecimento é inesperada ou antecipado, por medo de voltar a sofrer novamente os sintomas. Quando a agorafobia aparece, situações que poderiam causar um ataque de pânico e situações onde o indivíduo encontra dificuldade em obter ajuda ou escapar, são evitadas. Assim, os lugares são evitados e reduzidos de tal maneira que o único lugar onde a pessoa afetada se sente segura é em casa.



T.O.C. (Transtorno Obsessivo-Compulsivo): é identificado pelo surgimento de pensamentos angustiantes e pela repetição de comportamentos rituais gerados como forma de neutralizar a ansiedade gerada pelas obsessões.


Pensamentos obsessivos podem ter diferentes conteúdos, como agressão (infligir ou sofrer), perda de controlo, negligência, honestidade, religião, acidentes, doenças, contaminação e/ou sexualidade.


Compulsões são comportamentos repetitivos ou atos mentais que a pessoa se sente impelida a executar para evitar desconforto e que não estão realisticamente ligados ao que se pretende evitar.



TEPT (Transtorno de Stress Pós-Traumático ou Transtorno de Estresse Agudo): verifica-se após uma experiência, um depoimento ou um confronto de um evento ou situação extrema vivida que envolva uma ameaça à sua integridade física. A resposta a esta situação deve ser medo intenso, desamparo ou terror. Ansiedade manifesta-se com híper vigilância, flashbacks, necessidade de evitar lugares, pessoas ou coisas, raiva, ansiedade e sintomas depressivos. Em suma, memórias invasivas, sintomas de fuga e falta de sensibilidade ou hiperatividade fisiológica.



Fobias: são produzidas por um estímulo ou situação específica que leva a antecipar consequências negativas e que diante da sua presença, gera sintomas de ansiedade. Quando a fobia é social, o indivíduo acredita que será humilhado ou avaliado negativamente em público, temendo agir de maneira embaraçosa em determinadas situações sociais



Transtorno de Ansiedade na Infância: especialmente quando a criança se depara com novas experiências que excedem seu controlo.



Transtorno de Separação: se produz um nível intenso e inadequado de ansiedade quando ocorre a separação de uma pessoa ou lugar.